quarta-feira, 18 de abril de 2018

Rondó da Liberdade

Poema de Carlos Marighella

É preciso não ter medo,
é preciso ter a coragem de dizer.
Há os que têm vocação para escravo,
mas há os escravos que revoltam contra a escravidão.
Não ficar de joelhos,
que não é racional renunciar a ser livre.
Mesmo os escravos por vocação
devem ser obrigados a ser livres,
quando as algemas forem quebradas.
É preciso não ter medo,
é preciso ter a coragem de dizer.
O homem deve ser livre…
O amor é que não se detém ante nenhum obstáculo,
e pode mesmo existir até quando não se é livre.
E no entanto ele é em si mesmo
a expressão mais elevada do que houver de mais livre
em todas as gamas do humano sentimento.
É preciso não ter medo,
é preciso ter a coragem de dizer.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

A Língua Lambe

Carlos Drummond de Andrade, in: O amor natural. Editora Companhia das Letras, 2013. Pág. 31.


A língua lambe as pétalas vermelhas
da rosa pluriaberta; a língua lavra
certo oculto botão, e vai tecendo
lépidas variações de leves ritmos.
E lambe, lambilonga, lambilenta,
a licorina gruta cabeluda,
e, quanto mais lambente, mais ativa,
atinge o céu do céu, entre gemidos,
entre gritos, balidos e rugidos
de leões na floresta, enfurecidos.

sábado, 31 de março de 2018

Zé Caboclo

Cerâmicas



Bumba-meu-boi, 
Bumba-meu-boi 
Casal de Noivos 
Dentista 
Lampião 
Maria Bonita 
Nossa Senhora Vestida de Chita 
Casal de Idosos 
Personagem do Maracatu 
Personagem do Maracatu 
Pescador
Lampião